Gaby Soares

Era algo diferente de tudo o que já havia conhecido. Não era escuro, não era frio, nem mesmo vazio. Haviam cores, sensações, calma. Mas apesar de tê-lo conhecido não o alcançava. Estava longe das suas mãos, como se a cada passo que desse se afastasse cada vez mais. Mas podia sonhar, podia senti-lo. Mesmo que não parecesse real, se sentia bem em acreditar.

home
about me
meus textos
ask
following
extras





Rock in Rio é pros fracos, quero ver é passar 15 dias em Barretos.

(Fonte: goianadojem)



Postado em 10/11/2013 às 15:24 102 notas



Postado em 26/8/2013 às 23:05 44 notas
"Ninguém vive sozinho. Ninguém deveria se sentir sozinho… Na verdade, essa sensação deveria ser terminantemente proibida. A gente precisa de alguém. Precisamos ter alguém. Mesmo sabendo que na teoria, ninguém pertence a ninguém realmente. Tudo vai embora, tudo deixa vazio. Nada prende, nada conserva o afeto. Você tem que morrer, correr, pular obstáculos todo dia, e nem sempre adianta."

But, I like you. 

(Fonte: abstinenc-e)



Postado em 26/8/2013 às 2:02 9.279 notas
"Me vi no chão, sozinho, sem amigos ou qualquer outra pessoa do meu lado. Então tive que me levantar, tive que ser forte, ser forte por mim."

Querido John.

(Fonte: romantizar)



Postado em 26/8/2013 às 2:02 94.847 notas
"Nunca disse o que pensava. Só guardei pra mim, guardei e continue vivendo."

The Walking Dead


Postado em 26/8/2013 às 1:46 77.742 notas
"Porque metade de mim é o que eu grito, mas a outra metade é silêncio. Porque metade de mim é partida, mas a outra metade é saudade. Porque metade de mim é o que ouço, mas a outra metade é o que calo. Porque metade de mim é o que eu penso, mas a outra metade é um vulcão. Que o medo da solidão se afaste, e que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável. Porque metade de mim é a lembrança do que fui, a outra metade eu não sei. Porque metade de mim é abrigo, mas a outra metade é cansaço. Porque metade de mim é amor e a outra metade também."

Oswaldo Montenegro.  (via romantizar)


Postado em 26/8/2013 às 0:01 51.207 notas
"Talvez eu ignorasse. Talvez ficasse irritada. Ou, talvez, largasse tudo e desistisse. Naquela hora, pela primeira vez, enxerguei a possibilidade de desistir. Até encontrei alguma esperança nisso."

Os 13 Porquês.  

(Fonte: sociedadedospoetasmortos.com)



Postado em 25/8/2013 às 23:57 20.722 notas
"Desisti. E isso é a coisa mais triste que tenho a dizer. A coisa mais triste que já me aconteceu. Eu simplesmente desisti. Não brigo mais com a vida, não quero entender nada. Vou nos lugares, vejo a opinião de todo mundo, coisas que acho deprê, outras que quero somar, mas as deixo lá. Deixo tudo lá. Não mexo em nada. Não quero. Odeio as frases em inglês mas o tempo todo penso “I don’t care”. Me nego a brigar. Pra quê? Passei uma vida sendo a irritadinha, a que queria tudo do seu jeito. Amor só é amor se for assim. Sotaque tem que ser assim. Comer tem que ser assim. Dirigir, trabalhar, dormir, respirar. E eu seguia brigando. Querendo o mundo do meu jeito. Na minha hora. Querendo consertar a fome do mundo e o restaurante brega. Agora, não quero mais nada. De verdade. Não vejo o que é feio e o que é bonito. Não ligo se a faca tirar uma lasca do meu dedo na hora de cortar a maça. Não ligo pra dor. Pro sangue. Pro desfecho da novela. Se o trânsito parou, não buzino. Se o brinco foi pelo ralo, foda-se. Deixa assim. A vida é assim. Não brigo mais. Não quero arrumar, tentar, me vingar, não quero segunda chance, não quero ganhar, não quero vencer, não quero a última palavra, a explicação, a mudança, a luta, o jeito. Eu quero não sentir. Quero ver a vida em volta, sem sentir nada. Quero ter uma emoção paralítica. Só rir de leve e superficialmente. Do que tiver muita graça. E talvez escorrer uma lágrima para o que for insuportável. Nada pessoal. Algo tipo fantoche, alguém que enfie a mão por dentro de mim, vez ou outra, e me cause um movimento qualquer. Quero não sentir mais porra nenhuma. Só não sou uma suicida em potencial porque ser fria me causa alguma curiosidade. O mundo me viu descabelar, agora vai me ver dormir. Eu quis tanto ser feliz. Tanto. Chegava a ser arrogante. Tanta coisa dentro do peito. Tanta vida. Tanta coisa que só afugenta a tudo e a todos. Ninguém dá conta do saco sem fundo de quem devora o mundo e ainda assim não basta. Ninguém dá conta e quer saber? Nem eu. Chega. Não quero mais ser feliz. Nem triste. Nem nada. Eu quis muito mandar na vida. Agora, nem chego a ser mandada por ela. Eu simplesmente me recuso a repassar a história, seja ela qual for, pela milésima vez. Deixa a vida ser como é. Desde que eu continue dormindo. Ser invisível, meu grande pavor, ganhou finalmente uma grande desimportância. Quase um alivio. I don’t care."

Tati Bernardi.


Postado em 25/8/2013 às 23:55 23.514 notas
"Mas não te procuro mais, nem corro atrás. Deixo-te livre para sentir minha falta, se é que faço falta…"

Caio Fernando Abreu. 


Postado em 25/8/2013 às 23:48 9.119 notas
 


Postado em 25/8/2013 às 23:45 23.824 notas
Página 1 de 50 1 2 3 4 5 6 7 »